Com presença do novo diretor, Ejud Itinerante encerra as edições deste ano

 

A última edição do projeto Escola Judicial Itinerante de 2019, realizada em Ilhéus, contou com a presença do novo diretor da unidade, eleito para o biênio 2019-2021, desembargador Jéferson Muricy. Em seu pronunciamento, o magistrado destacou que pretende “atuar de forma democrática”, com a participação dos magistrados e servidores na escolha dos temas e dos professores para as atividades da Escola. Muricy pontuou também a importância do projeto para “formação e qualificação permanente dos servidores lotados no interior do estado”.

Essa edição da Ejud Itinerante, que começou terça (12) e encerrou nesta sexta (14), contou com a participação de mais de 40 diretores, assistentes e oficiais de justiça. No primeiro dia foram abordadas atualização jurisprudencial, questões polêmicas sobre honorários advocatícios e o uso de ferramentas eletrônicas na execução.

A manhã do segundo dia (13) dividiu os participantes em três grupos. Os oficiais de justiça tiveram aula sobre Posturas Defensivas em Diligência. Para os assistentes, foi oferecida palestra tratando de Temas polêmicos sobre execução trabalhista. E os diretores reuniram-se para discutir Os impactos da Reforma Trabalhista e da restrição orçamentária na gestão da unidade judiciária.

Segundo o diretor da 1ª Vara do Trabalho de Alagoinhas, Tiago Bengard, na aula foram abordadas sugestões de como os gestores e o tribunal podem suprir as demandas das unidades, tendo em vista a redução de 1 bilhão no orçamento do Judiciário trabalhista em 2020. “Debatemos o corte de custos, de pessoal, o alto volume de aposentadorias sem reposição e dentre as ideias apontadas estavam contratação de estagiários voluntários e valorização e motivação do servidor, por meio inclusive de premiação por desempenho”.

No turno vespertino, todos os participantes assistiram à aula sobre Desafios e perspectivas da Justiça do Trabalho na atualidade. Na ocasião foram tratados os “desafios existenciais do passado e do presente”. De acordo o juiz titular da 9ª Vara do Trabalho de Salvador, Luciano Martinez, ministrante da aula, “entre os desafios existenciais da atualidade está o de mostrar a importância de ser Justiça do Trabalho e ser tribunal de causa específica, com magistrados especializados, sem sofrer tantas críticas, como temos sofrido. Há também o desafio de mostrar-se como uma justiça que vale a pena e que por isso vale mais do que ela efetivamente custa”. Além disso, foi analisada a proposta de extinção da Justiça do Trabalho, “um dos maiores ícones dos direitos sociais”.

A aula sobre Relacionamento entre os sujeitos do Poder Judiciário encerra o evento nesta sexta (14) com intensa participação do público. Fato que, junto a programação do evento, surpreendeu o diretor da Escola. “Fiquei muito impressionado com a qualidade da organização, dos temas, com o número de servidores que compareceram, a atenção com que eles permaneceram e a participação nas discussões”, finalizou Muricy.

 

Silvana Costa Moreira (Ejud5) 14 nov 2019