Inscrições abertas para Curso de Conciliação e Mediação na modalidade semipresencial

Visando a capacitação de magistrados (na condição de supervisores) e servidores (na condição de conciliadores) interessados em atuar nos Centros Judiciários de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Cejuscs) que serão implantados no interior do estado, será realizado o curso de Conciliação e Mediação na modalidade semipresencial.

Com duração total de 50 horas, o curso terá 34 horas de atividades online disponibilizadas pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), que poderão ser acessadas de 22 de outubro a 22 de novembro. Além de 8 horas de curso presencial e 8 horas de prática e visita aos Cejuscs 1 e 2, respectivamente na 1ª e 2ª instâncias, em data a ser definida.

A estrutura da capacitação está configurada em dez módulos. E serão abordados aspectos relacionados aos métodos de resolução de disputas envolvendo políticas públicas, modelos de negociação, ética, etapas de audiência, teoria dos jogos, cálculos de parcelas e atas de fechamento do acordo.

Para se candidatar a uma das 50 vagas, o interessado deve observar os critérios estabelecidos no Edital nº 001/2019. Terão preferência servidores e magistrados lotados nas varas do trabalho da região metropolitana (Candeias, Camaçari e Simões Filho), Feira de Santana e Alagoinhas, tendo em vista o projeto do TRT5 em implantar inicialmente Cejuscs nessas jurisdições.

As inscrições devem ser realizadas exclusivamente por meio do formulário eletrônico (clique aqui) até o dia 16 de outubro. A análise e seleção dos candidatos será feita nos dias 17 e 18. E o resultado será divulgado no dia 21, aqui no site da Ejud5.

Para efeito de adicional de qualificação serão computadas as horas registradas pela Escola, independentemente da certificação final como conciliador que, especificamente, exige a participação integral no curso (EaD e presencial).

Cejusc

O Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Cejusc) é uma estrutura equiparada a uma unidade judiciária. Nele são desenvolvidos trabalhos correlatos à política de autocomposição, com especial ênfase na solução de conflitos por meio da conciliação e mediação.

Os Cejuscs proporcionam um ambiente neutro, no qual os interessados em solucionar determinado conflito têm a chance de conversar, negociar e chegar a um acordo satisfatório. Para tanto, as partes contam com o auxílio de um conciliador, isto é, de um terceiro com atuação imparcial e capacitação na área.

Geridos por juízes coordenadores, os Cejuscs da 5ª Região são criados e coordenados pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), nos termos da Resolução nº 174/2016 do CSJT e do Ato nº 197/2017 do TRT5.

 

Edital

Termo de compromisso

(Ejud5) 3 out 2019