Mais um Grupo de Estudos é criado; equipe discutirá práticas discriminatórias

A Escola Judicial da 5ª Região (Ejud5) criou mais um Grupo de Estudos e Pesquisa, desta vez voltado para práticas discriminatórias e repercussões no mercado e relações de trabalho. O grupo foi instituído pelo Ato EJ5 nº 2/2020 e será coordenado pelas juízas do TRT5 Manuela Hermes e Maíra de La Cruz.

A criação do grupo levou em consideração dados estatísticos que apontam repercussões das desigualdades no mercado de trabalho. E ponderou também a frequência de lides trazidas à apreciação da Justiça do Trabalho com tópicos relacionados à discriminação, exclusão e distinção fundadas na raça, sexo, cor, religião e condição física para fins de acesso ao mercado de trabalho.

Com o objetivo de realizar estudos, discussão de textos e produção bibliográfica sobre o tema, além de atividades conjuntas em aspectos afins com outras instituições, o grupo de trabalho poderá ser composto por até 25 membros, entre magistrados, servidores, estagiários e pesquisadores.

Para tanto, os participantes se reunirão mensalmente. Os encontros ocorrerão na sede da Escola Judicial, localizada no Edifício Médici, 1º andar, no bairro de Nazaré, em datas a serem divulgadas oportunamente.

As atividades desenvolvidas pelos integrantes no âmbito do grupo de estudo serão contabilizadas para fins de carga horária obrigatória de formação, limitadas até 15 (quinze) horas por semestre. Interessados em participar devem preencher o formulário (clique aqui) até o dia 20 de fevereiro ou enquanto houver vagas, o que ocorrer primeiro.

Silvana Costa Moreira (Ejud5) 22 jan 2020