Ministro Lelio Bentes reflete sobre temas sociais contemporâneos em visita à Escola Judicial

Em visita correicional à Escola Judicial na tarde de terça-feira (17), acompanhado da presidente do TRT da 5ª Região, desembargadora Lourdes Linhares, e da vice-presidente, desembargadora Débora Machado, o ministro do TST e corregedor-geral da Justiça do Trabalho Lelio Bentes Corrêa demonstrou afinidade com o viés humanístico que tem orientado as atividades da Ejud5 na atual gestão. Ao falar para magistrados e servidores presentes à ocasião, destacou a importância de se investir na capacitação in loco de servidores lotados em comarcas do interior baiano – como já é feito através do projeto Escola Itinerante –, frisando inclusive o custo social, para as servidoras que são mães, de ter que se ausentar de casa por um longo período.

O corregedor aproveitou para elogiar a maciça presença feminina no âmbito do TRT5, considerada um exemplo a ser levado para os demais Regionais. Ao longo da visita, que durou pouco mais de uma hora, o ministro foi apresentado às novas instalações da Escola Judicial por sua diretora, desembargadora Margareth Costa, junto ao coordenador acadêmico, juiz Danilo Gaspar, e tomou conhecimento de projetos atuais e futuros da Ejud5 – tais como as Sextas Alternativas, que despertaram especial interesse no corregedor, e a proposta de um mestrado a ser desenvolvido em conjunto com a Universidade Federal da Bahia. O juiz Fabiano Aragão, conselheiro da Escola, e a juíza Andréa Schwarz, da vara do trabalho de Porto Seguro, também acompanharam a visita.

Temas como igualdade entre gêneros, feminização da pobreza, respeito à diversidade sexual e combate ao trabalho infantil foram abordados pelo ministro, que se mostrou sensível à necessidade de reduzirmos a propensão ao estranhamento e reconhecermos os aspectos que aproximam as pessoas. “É importante que os juízes se aperfeiçoem e sejam aparelhados para lidar com os novos desafios que se apresentam. A sensibilidade é um requisito, por isso temos que refletir sobre o perfil de magistrados e servidores, e seu compromisso com a justiça social”, declarou, ressaltando que a alteridade é fator de influência na entrega da prestação jurisdicional.

O TRT baiano é o quinto tribunal correicionado pelo ministro Lelio Bentes este ano. A visita à Ejud foi encerrada em tom descontraído com um coffee break oferecido ao corregedor e demais autoridades presentes.