Realizado descerramento da placa de requalificação da Escola Judicial

Na manhã desta quinta-feira (11) foram solenemente inauguradas as novas instalações da Escola Judicial do TRT da 5ª Região (Ejud5). A presidente do Regional, desembargadora Maria de Lourdes Linhares, declarou "oficialmente reinaugurada a Escola Judicial" e descerrou a placa juntamente com a diretora da unidade, desembargadora Margareth Costa.

      

Durante a solenidade, em que estiveram presentes magistrados, servidores e terceirizados,  a presidente do Tribunal parabenizou a diretora da Escola e a sua equipe pelo "empenho imenso que tiveram em transformar a Ejud5 em um local mais aprazível".

Em seu discurso, a desembargadora Margareth Costa agradeceu o apoio da Presidência do Tribunal, "porque ninguém sonha um sonho sozinho e não há nada que se materialize também que não tenha muitas mentes e muitas mãos para permitir que aquilo seja feito".

A diretora destacou ainda o apoio da arquiteta Carla Pires, "que veio atendendo a um convite pessoal, sem qualquer tipo de empenho do Tribunal, porque não tínhamos nem como remunerá-la". Agradeceu também aos magistrados, servidores e terceirizados "que vivem a Escola", e o "apoio irrestrito da Enamat".

     

A requalificação da Escola Judicial conta com instalação de rampa de acesso para o palco no auditório principal; estúdio de gravação criado para transmissão de cursos EAD; espaço de convivência, com banheiro acessível; ampliação da diretoria, que, desde então, dispõe de espaço para reuniões; unificação de duas salas, com aumento da capacidade de 40 para 70 lugares; novo espaço para secretaria da Escola, que agora funciona em um espaço mais amplo; estruturação do local onde funciona a copa e de novos banheiros da área comum.

A diretora Margareth Costa destacou ainda o trabalho realizado pelas gestões anteriores que “fizeram aquilo que estava ao seu alcance” e declarou que a Escola deve ser um espaço de formação, aperfeiçoamento e humanismo. "Eu creio na educação, na instrução, como lei de progresso. O que mais nós podemos fazer por nós mesmo é educarmos", finalizou.

     

Silvana Costa Moreira (Ejud5)