Uso de mídias sociais por magistrados é tema de seminário

Começou hoje, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, o seminário Os Juízes e as Mídias Sociais.

Realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o evento tem como temas a regulamentação do uso das mídias sociais, bem como o impacto dessas ferramentas na vida dos magistrados. Além disso, os participantes do evento integrarão grupos de trabalho para discutir aspectos educacionais e disciplinares do uso desses recursos pelos integrantes do Poder Judiciário.

A conferência de abertura do evento, que acontece até o dia 3, foi proferida pelo professor da Universidade de São Paulo Eduardo Carlos Blanca Bittar e teve a mesa presidida pelo ministro do TST e conselheiro do CNJ, Aloysio Corrêa da Veiga.

Na tarde desta segunda (1) serão apresentados três painéis: O que são as mídias sociais e o seu impacto sobre a vida dos magistrados, Como a sociedade vê o uso das mídias sociais pelos juízes e Panorama global sobre a regulamentação do uso de mídias sociais pelos juízes. Jornalistas, professores e magistrados estão entre os expositores destacados na programação.

A discussão dos aspectos disciplinares e educacionais do uso de mídias sociais será o foco no segundo dia do seminário. Os participantes serão divididos em grupos de trabalho e vão elaborar propostas para normatizar os procedimentos. No terceiro dia, no encerramento do evento, essas sugestões serão consolidadas.

Estão participando do evento a diretora da Escola Judicial do TRT5 e conselheira da Enamat, desembargadora Margareth Costa, o presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), João Batista Brito Pereira, o diretor da Enamat (Escola Nacional de Formação Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho) e ministro do TST, Luiz Philippe Mello Filho, o diretor da Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU), procurador do trabalho Alberto Balazeiro e a corregedora do TRT5, Dalila Andrade.
 
 
 
 
Com informações da Agência CNJ de Notícias